segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

O Avatar - Poul Anderson

» Sinopse
Num passado que se perdia na bruma dos tempos, uma raça misteriosa, a que se chamava simplesmente “Os Outros”, deixara à humanidade um legado precioso que era simultaneamente um grande desafio; uma passagem assinalada para alcançar as estrelas inexploradas.

E a humanidade utilizou essa passagem para colonizar o sistema da estrela Phoebus, mas deixou inexplorado tudo o que restava da galáxia…

Num ambiente político conturbado, a grande nave Emissário utiliza a passagem pára uma viagem de exploração. Mas, quando regressa, os governantes da União mandam aprisionar a nave e deter a tripulação, ao mesmo tempo que proíbem qualquer futura exploração do espaço…

Apenas um homem, um colono de Deméter, consegue aperceber-se da situação e empreende uma ação desesperada para salvar o presente e acautelar o futuro…














» Comentários
Curiosidades:
Seria “Avatar”, de James Cameron, plágio de Poul Anderson?

Avatar, de James Cameron tem sido defendido como uma tentativa de contar histórias originais de ficção científica no cinema, entre um mar de remakes e adaptações. Mas Cameron pode ter tomado “emprestado” alguns dos aspectos fundamentais de sua narrativa do autor Poul Anderson.

“Call me Joe” é um romance escrito em 1957 por um escritor da era de ouro da ficção científica, Poul Anderson. Muitos fãs de Anderson suspeitam que a história teve uma influência importante sobre Avatar, e alguns brigando para que Anderson receba os creditos no filme. E é fácil perceber porquê.

Como em Avatar, “Call me Joe” se foca em um paraplégico – Ed Anglesey – que se se conecta telepaticamente com uma forma de vida artificial criada para explorar um planeta hostil (neste caso, Júpiter). Anglesey, como Jake Sully, de Avatar, deleita-se com a liberdade e a força de seu corpo artificial, luta com predadores na superfície de Júpiter, e gradualmente vai se tornando nativo à medida que passa mais tempo conectado ao seu corpo artificial.

Claro, não há nada de errado em ser inspirado ou influenciado por outros escritores, e Cameron mencionou uma série de influências para Avatar: Dança com Lobos, Rudyard Kipling, Edgar Rice Burroughs (Tarzan). Mas é estranho, tendo em conta algumas semelhanças notáveis nas histórias, que ele parece não ter mencionado Anderson como uma inspiração específica.

Se as semelhanças entre Avatar e “Call Me Joe” causarem problemas Cameron, não seria a primeira vez. Depois que O Exterminador do Futuro foi lançado, o escritor Harlan Ellison processou a empresa de produção por plagiar dois episódios que ele escreveu para A quinta Dimensão (The Outer Limits). Embora Cameron tenha levado as idéias de Ellison em um sentido muito diferente e inovador, a empresa entrou em acordo com Ellison, que hoje é reconhecido nos créditos do filme.

Avatar pode ser, em grande medida, um filme original, tal como O Exterminador do Futuro é. Mas pode ter mais raízes do que Cameron reconheceu até agora.


























Postar um comentário

Credits